NOVOS CONCEITOS PARA O ESPIRITISMO

Enviado por A. Cavalcanti Nenhum Comentário 28/05/2009

Embora os preceitos oriundos da codificação Kardequiana continuem em plena validade, não devemos olvidar que a lei de Deus estabelece que tudo no Universo se transforme, sofrendo alterações que satisfaçam á normativa da evolução em todos os conceitos existentes no Infinito, visto que tudo é obra do Senhor e que tudo existe por sua permissão.

Assim, os ensinamentos iniciais ofertados pelo espiritismo, tende a sofrer complementações, visto que, a humanidade terrena vai se modificando, á medida em que espíritos mais capacitados vêm participar desta, permitindo ao Alto enviar novas mensagens, novas propostas de vidas, não somente pelas mensagens dos espíritos, mas também encarnação de espíritos capacitados a colaborarem no avanço da ciência e da tecnologia, o que vem causar um estilo de vida mais promissora pelo acesso á modernidade que possibilita uma nova visão e compreensão de possibilidades até então impensadas. Devemos perceber que a medicina, já concede valores á prece no processo da cura. Alimentos são testados e recomendados para o combate de processos enfermiços. E a própria medicina descobre dia-a-dia processos mais precisos e sem dor para males que promoveram momentos de impotência á classe médica.

No espiritismo de ontem, era natural que seus adeptos neófitos, aceitassem sem muita intenção de intervenção as novidades da Boa Nova, ou Mensagem do Evangelho. As mensagens dos espíritos nas casas espíritas eram ouvidas e sacramentadas, confiante que fora passada por um Ser Elevado, portanto, era inquestionável sua validade, visto que a dificuldade de avaliar era enorme devido a falta da pesquisa e estudo das matérias que fossem capazes de elucidar os fatos, permitindo assim possibilidades de avaliar o grau de verdade ou de engano.

Não devemos olvidar que Alan Kardec tenha sido o grande missionário incumbido de popularizar os ensinamentos esotéricos quando sem hesitar promoveu junto á falange do Espírito da Verdade a Codificação da Doutrina Espírita. Mas, devemos compreender que em obediência a lei da renovação e do aperfeiçoamento, tudo deve se transformar. Esse antigo iniciado atlante foi escolhido para divulgar, num formato simples, racional e acessível ás grandes massas, o essencial das Antigas Verdades: Reencarnação, Evolução, Lei do Carma, Mediunismo e Corpo Astral, deste outros ensinamentos. Como o Mestre Nazareno, Kardec filtrou o possível para sua época, daquela sabedoria Iniciática milenar.

Seguindo a premissa da normativa universal, onde tudo está conjugado ao pretexto do inexorável aprimoramento, os Maiorais Siderais, em acertos realizados com a Entidade Espiritual conhecida por Ramatís, viabiliza nos tempos atuais, por seu intermédio a exemplo de que já vem ocorrendo a meio século, nova seqüência de ensinamentos capazes de atender aos espíritos mais credenciados a pesquisar e entender um currículo esotérico mais avançado iniciando-se assim o retorno ás pregações Aumbandhã.

Os espíritas devem atentar para a recomendação de Jesus que diz da necessidade de conhecer a verdade para se libertar. Aquele que quer agir com sensatez, necessita se aprimorar, sendo detentor de certos conhecimentos que o fará mais exigente primeiramente para com si mesmo, para em seguida, cobrar daqueles que compartilham de suas atuações mediúnicas.
O espírita de hoje deve procurar conhecer as razões de sua existência, como seu espírito consegue manifestar-se no plano físico, pois a vivência humana na Terra depende de muitas ações invisíveis aos olhos carnais. Para se inteirar dos novos ensinamentos espirituais, livrar-se da crença sem fundamento e tornar-se capaz de analisar para saber diferenciar o certo do errado, o espírita moderno deve estudar temas importantes como sua origem e os caminhos da evolução. Quando terá uma noção do complexo processo que Centelha Divina segue, vivenciando ensaios nos reinos, mineral, vegetal, animal, elementar e hominal de onde prosseguirá para a ventura do anjo e prosseguir para alcançar o poder e glória do Arcanjo.

O espírita deve procurar obter conhecimentos sobre os corpos sutis que compõem o corpo espiritual, essa fabulosa Criação Divina que serve de instrumento ao espírito encarnado, possibilitando suas ações sobre a Terra, tornando-se ciente de como o espírito encarnado consegue agir no plano físico, e como por onde se alimenta dos vários fluídos cósmicos.

Passando a ser conhecedor de como age a espiritualidade, nos diversos processos da fenomenologia mediúnica, o trabalhador espírita terá maior sabedoria para distinguir, avaliar, corrigir e dar a devida orientação diante de fenômenos ligados á mediunidade.

Quando passará a conhecer as verdadeiras probabilidades de ajuda espiritual, e tornando-se conhecedor de que a Lei é dura, mas é a Lei, e que sem as transformações necessárias, tudo que ocorra será um paliativo, portanto somente por meio da verdadeira vivência dentro da lei que determina que somente façamos ao próximo que desejamos que nos façam, será possível a cura definitiva.

Leave a Reply