CHACRAS E CENTROS DE FORÇAS – DIFERENCIAÇÕES

Enviado por A. Cavalcanti 2 Comentários 09/07/2009

CHACRAS E CENTROS DE FORÇAS

O conhecimento dos desses pontos de forças etéricas, denominados de chacras, remonta longos séculos, os egípcios e hindus, caldeus e outros já tratavam dessa matéria antes mesmo da era cristã. A estátua de Buda, que viveu 600 A.C. como a erigida em Nara, no Japão em 749, já apresentava o iluminado instrutor espiritual da Ásia com o chacra coronário situado no alto da cabeça e envolvido por grinalda de chamas esculpidas na pedra, significando a união das forças espirituais nos mundos superiores com as energias do mundo físico em evolução. -[1]

Á medida que o espírito vai plasmando o seu corpo de carne seguindo o gráfico ou molde “preexistente” do perispírito, o duplo etérico também vai se formando pela exsudação do éter-físico e consolidando-se como fiel intermediário das sensações físicas, para o mundo oculto; e deste para a consciência física. “Pouco a pouco, os chacras ajustam-se, progridem e se desenvolvem á altura dos principais plexos nervosos do homem.”

Os chacras giram como os ponteiros dos relógios, da esquerda para a direita, situando-se a sete milímetros na superfície do duplo-etérico. São centros humanos responsáveis pela irrigação de vitalidade ainda desconhecida da ciência acadêmica, ao captarem, o Prâna, que é o combustível essencial da Vida. Sem ele o espírito não poderia exercer o seu controle e sua atividade sobre o corpo físico, nem tomar conhecimento das sensações vividas pelo mesmo, pois eles transferem á região anatômica correspondente para cada decisão assumida pelo espírito no seu mundo oculto. -[2]

Denominações e localizações dos chacras

Chacra Coronário – Localiza-se no alto da cabeça, junto ao plexo coronário;

Chacra Frontal ou Cerebral – Localiza-se entre os supercílios, junto ao plexo frontal;

Chacra Laríngeo – Localiza-se sobre a garganta, junto ao plexo laríngeo;

Chacra Cardíaco – Localiza-se ao lado esquerdo do coração , junto ao plexo cardíaco;

Chacra Esplênico – Localiza-se em cima do baço, junto ao plexo mesetérico;

Chacra Umbilical ou Gástrico – Localiza-se sobre o umbigo, junto ao plexo solar;

Chacra Genésico – Localiza-se na região dos órgãos genitais;

Chacra  Básico,   fundamental,   Raiz,   Kundalíneo  ou

Basal – Localiza-se na base da coluna vertebral, junto ao plexo sagrado;

Chacra Umeral – Localiza-se entre as omoplatas, junto ao plexo braquial. -[3]

Tamanhos e cores dos chacras

Nos indivíduos espiritualmente desenvolvidos, os chacras, são amplos esplendorosos e sumamente brilhantes, prismados por cores translúcidas e fascinantes, pois chegam a atingir até vinte centímetros de diâmetro no seu giro turbilhonante. Ás vezes, eles se apresentam em cores escuras e oleosas, de diâmetro reduzido até uns cinco centímetros, com giro emperrado, característica do individuo primitivo. Quando se apresentam expansivos, dinâmicos e potentes, canalizam maior soma de energias vitais e psíquicas de boa qualidade, facilitando desenvolver faculdades superiores. Em face do crescente aperfeiçoamento dos equipamentos laboratoriais, na Terra, em breve poderemos identificar a contextura do duplo etérico e dos chacras, pois o éter-físico, embora seja invisível, ainda é matéria rarefeita que possui cor, peso, temperatura e odor. Em breve, os cientistas poderão constatar a verdade através da visão, na forma de ondas, vibrações ou emanações coloridas, vibrando em correspondência com as cores fundamentais e os matizes do arco-iris ou do espectro solar. -[4]

Diferença entre chacras e centros de forças

Na realidade há centros de forças tanto no duplo-etérico, quanto no perispírito. A diferença é que no duplo-etérico são propriamente os chacras isto é “discos giratórios”, “rodas turbilhonantes” nas de forças etéricas que se dissolvem com a morte do corpo físico. Os chacras do duplo-etérico são verdadeiros redemoinhos em miniatura ou “motos vorticosos” de energia etéricas prismando cores de acordo com a decomposição do Prâna que os irriga em todos os sentidos. No perispírito, entretanto, trata-se de centros de forças estáveis e definitivos, que não se decompõem com a desintegração do corpo físico, pois são órgãos preexistentes desse corpo imortal.

Os centros de forças do perispírito são “núcleos” de força astral e mental acumulada; e situam-se também, sobre os plexos nervosos do homem e quase ao nível dos próprios chacras etéricos. Portanto, se deve distinguir que os “chacras” são centros etéricos do corpo etérico, isto é do corpo provisório entre o organismo físico e o perispírito, enquanto os “centros de forças” perispirituais são preexistentes e impregnados de substância astralina e mental.

O centro coronário do perispírito é um fabuloso equipo sem analogia na linguagem humana. É a sede das mais avançadas decisões do Espírito imortal; no entanto, o mesmo chacra coronário do duplo etérico é tão somente um elo de conexão, uma ponte viva sensibilíssima, mas sem autonomia, a unir o mundo divino perispiritual com o mundo humano da criatura em aperfeiçoamento. Os centros de forças, do perispírito, funcionam como subestações do espírito, efetuando providências, sob o automatismo inteligente, fruto de milênios de aperfeiçoamento.

O centro de força umbilical, situado no perispírito, funcionando em perfeita sintonia com o chacra umbilical situado no duplo-etérico e com o plexo solar do corpo físico, todos localizados na área do umbigo humano, comanda e disciplina inúmeros fenômenos do corpo humano, ligados ao sistema digestivo e a sensibilidade mediúnica sem necessidade de intervenção direta do espírito.

Todos os chacras possuem funções, ou atuam nas áreas, orgânica e psíquica. Melhor explicando, todos agem no funcionamento dos sistemas fisiológicos como atuam nas diversas ações ligadas as várias modalidades mediúnicas. -[5]


[1]Elucidações do Além – Ramatís – Cap. Os Chacras – Pág. 169.

[2]Elucidações do Além – Ramatís – Cap. Os Chacras – Pág. 170.

[3]Elucidações do Além – Ramatís – Cap. Os Chacras – Pág. 170.

³Técnica da Mediunidade – Osvaldo Pastorino – Cap. Plano Astral / Os Chacras – Pág. 155.

[4]Elucidações do Além – Ramatís – Cap. Os Chacras – Pág. 171.

[5]Elucidações do Além – Ramatís – Cap. Os Chacras – Pág. 171 e 172.

2 Responses to “CHACRAS E CENTROS DE FORÇAS – DIFERENCIAÇÕES”

  1. Willian disse:

    Estava difícil explicar a diferença entre Chakras(Hinduísmo) e Centros de Força(Espiritismo), mas com a explicação acima ficou mais fácil entender essa diferença. Parabéns pela matéria!

  2. A. Cavalcanti disse:

    Obrigado. É bom saber que estamos tirando dúvidas.
    A.Cavalcanti

Leave a Reply